sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Ore por Todas as Almas






Ore por Todas as Almas


"Portanto, confesse seus pecados uns aos outros e ore uns pelos outros para que você possa ser curado. A oração de um homem justo é poderosa e eficaz. "(Tiago 5:16)


Várias culturas em todo o mundo oram para os mortos. Mas se atendemos à Palavra de Deus, nossa atenção deve ser para as almas vivas em nosso meio. 


Os cristãos devem "orar uns pelos outros". Antes, porém vemos que Tiago 5:16 diz: "Portanto, confesse seus pecados uns aos outros". 
Confessamos nossos pecados para que nosso irmão possa orar por nós. Essa oração assumirá total confiança, compaixão e aceitação. Nenhum julgamento de qualquer tipo é mencionado por Tiago. Na verdade, exatamente o contrário. Nós devemos orar um pelo outro para que possamos ser curados.

Quando pecamos, nossa alma fica doente. Assim como quando você tem um resfriado, você não está em plena capacidade. O pecado prolongado e não confessado acabará por roer como um câncer e nos deixará espiritualmente mortos. E quando você sente que está a ponto de não retornar e pensa em desistir, veja o que Tiago diz em seguida: "A oração de um homem justo é poderosa e eficaz".


Basta pensar: se voltássemos a atenção para todas as almas que precisam de confissão, oração e cura, nossas igrejas seriam revigoradas e traríamos grandes números para o reino.



- Senhor, mostre-me o meu pecado para que eu possa ir ao meu irmão para pedir por suas orações. E me faça sentir sensível o suficiente para orar sem julgar quando meu irmão ou minha irmã vem para mim.


sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Ser Fardo


 




Ser Fardo 







Cuidar de um familiar enfermo ou incapacitado cumpre a lei do amor e demonstra a virtude cristã.

A palavra fardo nos remete a algo pesado, volumoso ou difícil de suportar e que impõe responsabilidade. São os problemas de nossa vida que se tornam pesados sem Jesus. O fardo de Jesus é suave. Mas e quando somos o fardo ou nos sentimos fardo?
Falo sobre fardo com conhecimento de causa devido a minha história de vida como deficiente física. Eu nasci sem problemas de saúde ou qualquer deficiência física, por isso enfrentar as consequências do acidente de trânsito que me deixou tetraplégica não foi simples. Sei, no entanto, que poderia ter sido muito pior, teria sido difícil de suportar ou superar não fosse o cuidado comigo de meus familiares, especialmente minha mãe.
Porém os anos passando, sentindo o envelhecimento e minha dependência, vendo a renúncia e o esforço de meus cuidadores, pensamentos vem a minha cabeça. Aumenta o desejo de ser menos dependente. Em nossos pensamentos humanos parece que somente estar bem fisicamente seria a solução. Mas o pensamento de Deus é diferente.
Ainda não cheguei ao ponto de dizer que não me importo de ser dependente. Sei, porém que como cristã isso devia ser natural e não estranho. Por mais espirituais que sejamos somos rápidos para dizer: "Eu não quero ser um fardo para minha família, e eu vou fazer tudo o que posso para não ser!" Nós assumimos que estamos fazendo um favor para os membros de nossa família, um serviço cristão, como se fosse nosso dever não ter que depender de ninguém para pedir ajuda.
No entanto, para isso foram projetadas famílias, especialmente famílias cristãs. A família cristã mostra ao mundo que o serviço de sacrifício é normal. Os cristãos devem dar mesmo quando dói. Nós atendemos, mesmo quando estamos cansados. Buscamos os interesses dos outros antes dos nossos. E se nós sentimos que estamos sofrendo, então encontramos nosso exemplo em Cristo que "aprendeu a obediência nas coisas que sofreu" (Hebreus 5.8).
Como tetraplégica, dependo da ajuda de outras pessoas há muitos anos. Meus cuidadores são especialistas em dar, mesmo quando dói, mesmo quando estão cansados. Parte de mim, francamente, se sente culpada por isso. Mas Deus criou minha deficiência para não me tornar "independente", mas "interdependente". E, como beneficiária do amor de minha família, faço tudo o que posso para apoiá-los com gratidão, bem como orar por eles com seu cansaço. É o mínimo que posso fazer.
As famílias não teriam o significado no que elas fazem por nós, no entanto somos convidados a compartilhar os encargos da vida enquanto aprendemos a cuidar uns dos outros 
Muitos por causa da deficiência optaram por entrar em uma casa de repouso para poupar suas famílias do peso de cuidar de suas necessidades. Eles não querem ser um fardo. Quando esse pensamento se torna a norma, deixamos de viver no tipo de comunidade moral que merece ser chamada de família. Hoje em dia, no entanto, me pergunto se os cristãos são muito rápidos para institucionalizar nossos idosos ou deficientes, rejeitando o ônus de cuidar de nossos entes queridos.
Nós não nos levantamos por nosso próprio auxílio, promovendo-nos sobre o outro: 'Oh, eu sou independente; Não preciso de ajuda'. Pelo contrário, somos membros de um corpo. Estamos espiritualmente conectados. Nós pertencemos a Cristo e nos pertencemos.
E para crescer como um corpo, Deus nos apresentará, especialmente nas famílias, com interrupções inconvenientes e indesejadas em nossos planos: pode ser uma deficiência ou demência com nossos pais. O crescimento em Cristo significa aprender a lidar moralmente e com compaixão com essas interrupções.
A mais elevada virtude cristã é o amor. Como uma tetraplégica que envelhece rapidamente, uma parte de mim não quer sobrecarregar minha mãe e meus cuidadores. Mas a outra parte entende que esse estágio de vida desordenado e inconveniente deve refletir o propósito superior de Deus para nós como uma família, e é disso que se trata o amor cristão. 

E porque meus familiares me amam, eles suportarão meus fardos e assim cumprirão a lei do amor. Além disso, Deus já foi o exemplo. É por isso que o Salmo 68.19 diz: "Louvado ao Senhor, a Deus nosso Salvador, que diariamente carrega nossos fardos".
"Eu quero atrapalhar meus amados", Gilbert Meilaender; Revista First Things , 1/03/2010


Inspirado e adaptado: 
http://www.joniandfriends.org/radio/4-minute/oh-be-burden/

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A Salvação É só pela Graça


A imagem pode conter: atividades ao ar livre
 A Salvação É só pela Graça

No mês de outubro estamos comemorando o aniversário da reforma de Martinho Lutero, chamada reforma protestante.

Martinho Lutero foi um padre alemão no final dos anos 1400; ele também foi professor de teologia na Igreja Católica. Então ele realmente conhecia a Bíblia. E através de seus estudos, ele veio a discordar da visão católica sobre vários ensinamentos. Como a venda da salvação através de indulgências. 

Lutero queria reformar a Igreja Católica e então Ele propôs uma discussão acadêmica sobre 95 tópicos controversos. Para manter a conversa, 500 anos atrás, no dia 30 de outubro, Martinho Lutero publicou suas 95 teses na porta da igreja em Wittenberg, na Alemanha.
O Papa não gostou disso e, por isso, Martinho Lutero foi excomungado. Na verdade, ele foi feito fora da lei. E foi isso que começou a Reforma. 

O ponto marcante foi a leitura e compreensão deste versículo: 

"Mas o justo viverá pela fé." (Romanos 1.17)

Outros líderes cristãos como Lutero concordaram com ele. Eles concordaram que a salvação não foi obtida por boas obras, mas foi o dom gratuito da graça de Deus através da fé de um crente em Jesus. As obras são dever do salvo e não a razão da salvação. 

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2.8)

A teologia de Lutero também desafiou a autoridade do Papa proclamando que a Bíblia é a única fonte de conhecimento divinamente revelado. Lutero traduziu a Bíblia e sua tradução da Bíblia para a linguagem comum do povo tornou a Palavra de Deus acessível aos seguidores do dia a dia de Cristo. Essa foi outra coisa que realmente abalou o Papa e a Igreja Católica.  

Os 5 fundamentos da reforma: Só a fé, só Cristo, só a graça, só a escritura e somente a Deus a glória.

Veja o que aconteceu como resultado do corajoso ato Lutero contra a falsa doutrina. Ele não queria que seus seguidores fossem chamados luteranos (como muitos eram). Ele queria que fossem conhecidos como evangélicos, como cristãos. 

E veja o que Deus fez através da Reforma. O Evangelho está chegando por todo o mundo; os crentes estão comemorando a incrível graça do dom de salvação de Deus. É livre para todos que abraçarem Jesus Cristo como Senhor e Salvador. A salvação não é apenas para aqueles que se juntam a uma certa igreja, ou prestam homenagem a certos líderes, ou seguem as regras e regulamentos da igreja. 

A salvação é apenas para aqueles que são pecadores; para aqueles que, como nós, sabem que estamos completamente perdidos e nos dirigimos para o inferno sem Cristo. Para aqueles que sabem que nossos corações são enganosos e perversos acima de todas as coisas e em constante necessidade de resgate.

A reforma continua sendo necessária na igreja e nas nossas vidas. Para reformar é só pela graça através de Jesus. Ele reforma a todos e quer reformar você também.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Vencendo a Ansiedade



 





Vencendo a Ansiedade


‘’Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.’’ (Filipenses 4.6)




Eu não me considero uma pessoa muito ansiosa. Mas ocasionalmente, quando olho para o futuro, posso sentir a ansiedade roendo nas bordas do meu coração. É apenas uma dica, apenas um sussurro, mas eu sei que a ansiedade está lá. A ansiedade produz pensamentos como: "Você acha que será fácil? Você apenas espere até que fique um pouco mais velha." E outros pensamentos como: "E se algo acontecer a sua mãe? Ela é sua principal cuidadora. Como você vai gerenciar sem ela?" 

A ansiedade é comum a qualquer pessoa, mas os cristãos devem fazer tudo que podem para torná-la incomum. Para o seguidor de Jesus, a ansiedade não deve ser um modo de vida. E nós batalhamos, agarrando-nos às promessas de Deus. A melhor maneira de superar pensamentos ansiosos é se colocar em pé sobre as promessas de Deus. Há muitos versículos úteis sobre ansiedade.

Por exemplo, é muito perigoso para mim ficar resfriada, especialmente na estação fria por causa de meus pulmões tetraplégicos, que são muito fracos. Então, assim que sinto que estou ficando ansiosa por estar doente, eu combato o meu medo com a promessa do Salmo 34.19: "Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas elas." E se acontece que adoeço, então tomo a promessa de Romanos 5.3-4, sabendo que "o sofrimento produz resistência e a resistência produz experiência, e a experiência produz esperança". 

Quando me sinto ansiosa por envelhecer, eu combato essa ansiedade com a promessa de Isaías 46.4, onde Deus diz: "Eu serei o mesmo até sua velhice, e eu vou te carregar quando tiveres cabelos brancos. Porque eu te fiz, e eu te levarei, eu te trarei e te livrarei."

E sobre o sustento? Mateus 6 fala de não ficar ansioso quanto ao que comer ou vestir e mostra Deus alimentando pássaros e vestindo lírios. Devemos bucar Seu reino. Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33)
Quando fico ansiosa quanto a decisões que preciso tomar a respeito do futuro, luto contra a incredulidade com a promessa: “Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas, te darei conselho” (Salmo 32.8).
Quando fico ansiosa pelo bem-estar daqueles que amo, luto contra a incredulidade com a promessa de que se eu, sendo mau, sei dar boas coisas aos meus filhos, quanto mais o “Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?” (Mateus 7.11).
Eu também posso estar ansiosa sobre as coisas que eu constantemente preciso deixar ir, coisas que eu preciso morrer. E quando eu sinto ansiedade começar a subir, eu batalho com a promessa de que "Nenhum de nós vive para si mesmo, e nenhum de nós morre para si mesmo. Pois, se vivemos, vivemos para o Senhor e, se morrermos, morreremos para o Senhor. " (Romanos 14.7-8) 
Então, quando a situação está muito difícil e só sinto vontade de jogar a toalha, luto com aqueles pensamentos ansiosos com a promessa de que "Aquele que iniciou uma boa obra em mim, o fará terminar no dia de Jesus Cristo." (Filipenses 1.6)
Quando fico ansiosa por não ver resultado ao pregar a palavra de Deus, luto contra a incredulidade com a promessa de Isaías 55.11: “Assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei”.
Quando fico ansiosa por ser fraca demais para fazer meu trabalho, luto contra a incredulidade com a promessa de Cristo: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12.9).
Quando fico ansiosa por enfrentar adversários, luto contra a incredulidade com a promessa: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8.31).
Há  tantas coisas pelas quais poderíamos lutar neste mundo; tantas pessoas com quem poderíamos lutar. Mas, como diz o Dr. John Piper: "Façamos a guerra, não com outras pessoas, mas com nossa própria incredulidade. É a raiz da ansiedade, que, por sua vez, é a raiz de tantos outros pecados."

Precisamos constantemente lembrar nosso espírito, instruir nossos corações e fortalecer nossa fé nas promessas de Deus. Então lute a boa luta - seja qual for a deficiência que você está enfrentando; batalhe e mantenha seu escudo da fé hoje. Mate esses pensamentos ansiosos com a espada do Espírito; isto é, as promessas de Deus. É o que torna a luta boa para os cristãos. As promessas da Bíblia ajudam você a superar a ansiedade e o medo. 

Senhor, minha carne é fraca e você conhece bem. Agradeço-lhe que você sabe como é viver com essa carne. E agradeço-lhe que esse conhecimento canalize sua misericórdia para comigo, uma pecadora salva pela graça.

Adaptado:
joniandfriends.org/radio 
John Piper. © Desiring God – Solid Joys

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Quem Reside em Seu Coração?








Quem Reside em Seu Coração?






"Que a palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração."  (Colossenses 3:16)
Eu guardo lembranças da casa da minha infância com detalhes. Mudei de casa, mas o lar foi comigo, porque lar é onde quer que seu coração reside. É por isso que muitas pessoas chamam o céu ou estar nos braços de Jesus, lar.  Mas a Palavra de Deus está em casa, também. Quando o apóstolo Paulo diz: "A palavra de Cristo habite em vós ricamente", ele está nos lembrando que a Escritura deve achar um lar em nossos corações. Devemos morar nela. Ricamente. Pois, como em qualquer lar, devemos conhecer a Palavra de Deus como o dorso da nossa mão, em detalhes.
Você considera a Palavra de Deus um "lugar de morada"? Você reside com suas promessas, vive com seus comandos? Ou as Escrituras são algo que você visita apenas para um refresco ocasional, como um local de férias?
Deus quer que Sua Palavra encontre um lar em seu coração. Para você, pode ser um refúgio forte, ou um santuário repousante de um mundo cheio de pressão. Onde quer que a vida o leve, o lar pode estar tão perto quanto seu coração, tão perto quanto a Bíblia ao seu lado. Por isso a palavra de Deus deve ser lida, estudada, meditada e assunto de oração, até que ela habite ricamente dentro de nós.  
“Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Salmos 119.11)
Quando a palavra habitar em nós, nossos pensamentos, palavras, ações e motivações serão influenciados e controlados por Cristo.
“Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. (João 15.7).    
Salmos, hinos e cânticos espirituais devem ser usados para ensinar a Palavra de Deus e nos admoestar a viver uma vida de obediência a Deus.
“A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices.(Salmos 19.7)
“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;
Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. (2Timóteo 3.16,17)
“Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. (João 14.23)
“Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca.” (Salmos 119.103)

- Pai, ensina-me a viver confortavelmente em tua Palavra. Quando se trata de conhecer as Escrituras, quero me sentir em casa, no lar.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Perguntas Divinas

Resultado de imagem para foto moça cadeira de rodas





Perguntas
 Divinas





Foi em novembro de 1981 que um acidente de trânsito deixou-me  tetraplégica. Situação difícil de enfrentar, mas por causa disto Deus pode trabalhar em minha vida. Eu sofri esmagadoras provações físicas e emocionais, mas através da graça de Deus e o apoio da família e amigos, comecei a ver que podia encontrar socorro em Deus. Comecei a ser despertada para ler a Bíblia. Algo mexeu no meu coração. Era uma atração magnética em direção à esperança.
O sofrimento nos leva a fazer perguntas a Deus. Longe de ofendê-Lo, perguntas honestas lhe dão glória. Porque quando nos aproximamos de Deus buscando sua resposta abrimos a porta para que o Senhor possa trabalhar em nossa vida.  Seremos despertados com interesse na Bíblia. 

A Bíblia realmente tem algo a me dizer? O Salmo 77 diz: "Será que o Senhor rejeitará para sempre, ele nunca mostrará seu favor novamente, seu amor infalível desapareceu para sempre, sua promessa falhou por todos os tempos, Deus se esqueceu de ser misericordioso, ou acabaram suas misericórdias?"
No sofrimento nos identificamos com essas perguntas do Salmo 77. A angústia expressa no Salmo 77 era um tipo de angústia piedosa. Era piedoso, porque aquelas perguntas esmagadoras estavam voltadas para o Senhor. Essas perguntas eram para Deus, porque as perguntas honestas verdadeiramente honram o Senhor. Deus ama responder a nossos desafios quando eles são honestos e do coração.
O Salmo 34 diz que "O Senhor está perto dos quebrantados de coração e salva os que são esmagados em espírito". Esse quebrantamento fez o salmista meditar nas grandezas de Deus. 
Se você ou alguém que você conhece está lutando contra a desesperança, se tudo parece escuro, siga o exemplo do salmista no Salmo 77. Ele faz perguntas angustiantes dirigidas ao Senhor, e estas são uma forma de encontrar Deus, uma forma de abrir-se para o Único que pode realmente fazer algo sobre a sua situação.

Se hoje você está frustrado, use Salmo 77 como um caminho que acabará por levá-lo a um apaixonado desejo de compreender os caminhos de Deus. Leia-o hoje e comece a sentir a mudança em seu coração.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A Beleza do Frio

Resultado de imagem para fotos de flores no inverno





A Beleza do Frio

"Foi bom para eu ser afligido para que eu possa aprender seus decretos." - Salmo 119: 71

A beleza das flores que vejo através da janela do meu quarto na primavera não eram vistas por mim no inverno e também nem era sentido o seu perfume. Algumas flores são perfumadas e bonitas, mesmo passando por frio e duras geadas no inverno. Eu não sou um jardineiro, mas estou convencida de que o frio gelado força a beleza das flores.

Um teólogo que também sabia algo sobre jardinagem disse uma vez: "As geadas de julgamento e aflição são muitas vezes necessárias para as árvores de Deus crescerem. Elas precisam do frio para reviver e brotar. " 

O que é verdadeiro para as árvores na natureza é verdade para as pessoas neste mundo.

É interessante notar que David, que escreveu o salmo do versículo em destaque, não era um tipo de cabeça dura que precisava ser encurralado. Ele não era o tipo que exigia uma pequena aflição em sua vida para que ele apreciasse Deus. Em vez disso, o salmista era um homem segundo o coração de Deus. Mas as aflições de David eram o modo de Deus de ajudar a criar algo bonito em sua vida.

O frio ou a dor nos aproxima da fonte da graça que é Deus, nos sacode, nos balança, faz com que nos sintamos dependentes, necessitados. Afinal para tornar-se um bom soldado é preciso enfrentar as batalhas mais  duras. A obediência é aprendida por meio da disciplina e da dor, é o caminho da aflição que nos torna mais parecidos com Cristo e nos mantêm no exercício da fé. Deus permite as aflições para que busquemos nEle o refúgio e aprendamos viver na Sua dependência.

“Na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela” (Hebreus 12.11).

Apesar de permitir o frio do inverno, Deus quer trabalhar o caráter das pessoas e levá-las a partilhar de uma intensa intimidade com Ele, que tem completa capacidade de finalizar os dilemas da vida:

“O SENHOR é bom, uma fortaleza no dia da angústia” (Naum 1.7).

Você sente a frustração da solidão? Você está passando pelo frio da perseguição? Para você, pode ser a picada gelada da rejeição ou o frio da mágoa. Assim como as flores precisam da geada para reanimar e florescer, as dificuldades têm como ajudar a paz e a alegria a florescer em sua vida. A paciência pode sair do fracasso, e o autocontrole ou a gentileza podem brotar de uma quebra.


- Agradeço-lhe que você, Pai celestial, saiba exatamente o quanto é permitido a minha vida, de modo que esse fruto de alegria e paz possa florescer. O frio mordente dói, mas estou ansiosa para a beleza que você vai trazer na minha vida.