segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A Bondade de Deus




     A Bondade de Deus


''Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia." (Salmos 34.8) 

Muitas vezes não conseguimos ver a bondade de Deus nos acontecimentos da vida. Mas, mesmo em meio às circunstâncias difíceis que passarmos, Deus é sempre bom.

"Conta-se que há muito tempo, num reino distante, havia um rei que não  acreditava na bondade de Deus. Tinha, porém, um súdito que sempre lhe lembrava dessa verdade e dizia que Deus é bom.
Um dia saíram para caçar e um animal feroz atacou o rei, que perdeu o dedo mínimo. O súdito ainda lhe disse: 
- Deus é bom! O rei mandou prendê-lo.
Noutra caçada o rei foi capturado por índios antropófagos. Na hora do sacrifício o cacique percebeu que ele era imperfeito, porque lhe faltava um dedo. O rei foi solto e chegou para o súdito e disse: 
- É verdade, Deus é bom! Mas, por que então eu o mandei para a prisão? 
O súdito respondeu: 
- Porque se estivesse contigo eu seria sacrificado, pois não me falta membro algum."
 
Podemos observar que as tempestades da vida não anulam a bondade de Deus. Sem a tempestade não haveria o arco-íris. Pois só quando estamos no vale conseguimos enxergar a majestade dos montes. E só enxergamos o brilho das estrelas quando a noite está trevosa. É quando estamos nas profundezas da angústia que nos levantamos para as maiores conquistas da vida.

Quando o jovem rico chamou Jesus de “Bom Mestre”, Ele respondeu: 

“Por que me chamais bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus” (Lucas 18:19). 

Jesus não negou ser bom. Outros textos também afirmam a perfeição de Jesus que viveu sem pecado:

"Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado." (Hebreus 4:15) 

"O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano." (1 Pedro 2:22) 

Jesus cumpriu sua missão de mostrar a bondade de Deus para o mundo pecador.

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16) 

Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.(João 10:11)

"Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado." (Romanos 11:22).

A pergunta de Jesus ao jovem rico destacou sua autoridade ao exigir dele um sacrifício difícil. Se este jovem refletisse sobre o significado das suas próprias palavras, ou seja, a confissão que Jesus é o Bom Deus, ele não teria desculpa ao rejeitar as instruções do Senhor. 
O mesmo Deus que revelou no Antigo Testamento os mandamentos que este homem guardava a vida toda (“Não adulterarás, não matarás, não furtarás”, etc.) agora diria: 

"Vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-me." (Lucas 18:22). 

O jovem precisava reconhecer que estava naquele momento diante do Bom Deus. 

Jesus é bom. Ele é divino. Ele merece a nossa adoração e obediência! 

Se examinarmos a nossa vida nos surpreenderemos com as coisas boas que Deus tem feito por nós.
Depois de toda a nebulosidade do momento, vemos que aprendemos com ela. Depende apenas de como encaramos esses desafios: se desistimos e jogamos a culpa em Deus, ou se erguemos nossas cabeças, confiamos em Deus e prosseguimos certos de que Ele está no controle.

Experimentemos e vejamos a Deus como Salvador e Provedor. Ele é o bom pastor que dá a vida pelas suas ovelhas. Ele supre cada uma das nossas necessidades. 

Deixe Deus estar no controle da sua vida. Busque primeiro o reino de Deus e a Sua justiça e terá respostas às suas necessidades.

"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." (Mateus 6.33)


As tempestades da vida não anulam a bondade de Deus.
  

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Remorso e Arrependimento

 

     

Remorso e Arrependimento 


Muitas pessoas confundem remorso com arrependimento, mas embora esses termos sejam usados como sinônimos, eles não definem a mesma coisa.

Remorso é a reprovação da consciência que sente haver cometido uma falta, sem mudança de atitude. 

Arrependimento significa mudar de mente, pois uma pessoa arrependida compreende que o pecado é maligno e foge não apenas das consequências do pecado, mas, sobretudo, do pecado. 

Os frutos do arrependimento só podem ser produzidos por alguém que recebeu a luz da verdade na mente, a convicção do pecado no coração e se aparta do pecado.


Diferenças entre remorso e arrependimento:

remorso nos prende ao passado criando feridas; já o arrependimento nos liberta do passado e nos faz mudar de atitude.
O remorso cria uma prisão e o arrependimento traz libertação, porque o remorso nos prende ao erro e o arrependimento nos liberta do erro e nos leva a mudança.
O remorso gera angústia e tormento. O arrependimento gera desejo de mudar o curso tomado por causa de algo feito.
Remorso vem do coração humano ou, até mesmo, de uma opressão satânica. A acusação de satanás gera remorso.
O arrependimento vem da ação do Espírito Santo no coração humano. Quem convence do pecado, da justiça e do juízo é o Espírito Santo (João 16:8-9). 


"Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte." (2 Coríntios 7.10)

No texto de II Coríntios 7:10, o apóstolo Paulo nos ensina que a tristeza gerada por Deus é arrependimento, mas a tristeza vinda do mundo (da consciência humana ou do diabo) gera morte. O arrependimento gera vida e o remorso a morte.

Olhemos o que aconteceu com Judas Iscariotes e com Pedro: 

Ambos discípulos e pecaram contra Jesus. Judas traiu Jesus, Pedro negou Jesus. 

Judas apesar de reconhecer seu erro e entristecer se por ele não fechou o círculo do arrependimento e foi se enforcar. 

Pedro reconheceu seu  erro, entristeceu-se por ele, mas voltou-se para Jesus e encontro nEle perdão e restauração. 

Apenas a consciência do erro e a tristeza por ele não é arrependimento, é remorso.

O arrependimento passa por três níveis:

Arrependimento implica em mudança da mente, das emoções e da vontade.

1. A palavra arrependimento na língua grega significa mudança da mente. Acontece quando você tem consciência de que aquilo que você fez é errado, então você muda a sua percepção do entendimento dessa prática e se arrepende.
2. O arrependimento passa pelo elemento emocional. É sentir tristeza segundo Deus. Esta tristeza mostra para você que aquilo que você está fazendo não está em consonância com os princípios e valores de Deus. 
Mas o  arrependimento para  ser genuíno, precisa passar pelo 3 elemento:
3. A vontade. Arrependimento significa dar meia volta e tomar a direção oposta daquela que estava caminhando.

Judas conseguiu passar pelos dois primeiros estágios do arrependimento. Ele reconheceu seu erro, confessou seu erro, disse para o sumo sacerdote que ele tinha traído sangue inocente e devolveu o dinheiro que havia recebido para trair Jesus. Mas ele não  completou o ciclo porque ele não se voltou para Jesus.
O remorso faz com que a pessoa fuja.

Pedro passou pelos três estágios do arrependimento. 
1. Ele reconheceu o erro 
2. Ele chorou pelo erro 
3. Ele voltou-se para Jesus.

Talvez você está aprisionado pelo remorso, talvez você está sendo consumido pela culpa, talvez você pensa em tirar a própria vida. Você não consegue conviver com esta turbulência emocional que lhe assola, mas você não deve ficar preso nas amarras do remorso, você pode sair para as campinas verdejantes do arrependimento.
Como? Reconhecendo seu erro, chorando por ele e voltando-se para Deus que é rico em perdoar e tem prazer na misericórdia. 

Que do nosso coração possa brotar o verdadeiro arrependimento que nos levará a sermos melhores a cada dia.

Promessa de Proteção


Promessa de Proteção


Deus promete proteção. A Palavra de Deus confirma Sua promessa:


“Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.
Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará.
Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.
O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua direita.
O sol não te molestará de dia nem a lua de noite.
O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma.
O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre." 
 
Sl 121.1-8


Estamos expostos às violências física, emocional e espiritual constantemente. E no nosso coração há uma expectativa de socorro e proteção. Podemos procurar, mas o nosso socorro não vem dos astros, das pedras e metais, da força interior ou dos homens, nem temos socorro em lugares ou ocasiões especiais, porque o nosso socorro vem de Deus. 

A promessa de Deus é de proteção divina. É Deus quem nos protege, com seu poder e eficiência. E podemos sentir que a proteção de Deus é fortalecedora. Na situação de perigo, Ele nos fortalece e sustenta nossos pés. 
É uma proteção infalível e pessoal. A proteção humana é cheia de defeitos. Só o Senhor nos protege com perfeição. Ele é como a nossa sombra, pessoal e inseparável. 
É uma proteção completa e eterna. Deus nos guarda dos perigos. São vinte e quatro horas de proteção. 
O Senhor guardará a nossa entrada e a nossa saída deste mundo, desde agora e para sempre. Ele nos protege agora e por toda a eternidade. 

Ore:
Deus soberano, és majestoso! Sou grata pois Tua promessa é proteger-me de tudo e em todo tempo. Minha vida está diante de Teus olhos, por isso não há motivo para desespero. Confio em Ti. Porque Tu estás no comando de tudo eu posso descansar tranquilo. Fortalece-me em Tua presença. Em nome de Jesus. Amém

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Promessa Divina

     

Promessa Divina





"Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para os que ainda estão longe... para quantos o Senhor chamar." (Atos 2.39)


O propósito de Deus quando criou o homem era desfrutar com ele uma comunhão íntima e pessoal, porém a entrada do pecado na natureza humana impediu esse propósito. 

A queda do homem no pecado trouxe transtornos e males irreparáveis para a raça humana.


"E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.

Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo.

No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás." (Gênesis 3.17-19). 


Toda natureza passou a sofrer as consequências do pecado, que introduziu a morte no mundo e destituiu o homem de sua perfeita comunhão com o Criador. A morte não é apenas a separação física dos entes queridos, mas, sobretudo, a separação espiritual e eterna de Deus.  


 "Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. " (Romanos 5.12)

Agora o homem caído e escravizado pelo pecado, é alvo do plano salvador de Deus. Devido a Sua santidade e justiça, Deus  deve punir o homem por sua transgressão, e devido a Seu amor, Deus quer salvá-lo. 

A justiça divina exige que o homem seja punido, receba o justo castigo por seus atos, contudo o Seu amor não admite a ideia de abandonar o homem em seu estado de miséria e desgraça, longe de seu Criador e em permanente conflito espiritual.   

A dívida do homem para com Deus é impagável, porém Deus em seu amor quer resgatar o homem dessa situação. O meio encontrado por Deus foi a encarnação. Por meio de sua morte na cruz, o Filho de Deus proveu uma solução que satisfizesse tanto a justiça como o amor de Deus.

A promessa da salvação é a mais preciosa de todas as promessas das Escrituras. Ela é a maior prova da misericórdia de Deus e de seu infinito amor para com o homem ao providenciar-lhe o meio eficaz para que este fosse redimido dos seus pecados e obtivesse a certeza da vida eterna.


"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida." ( João 5.24)      


"Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna."  ( João 6.47)

Essa é a promessa que abre a porta para o cumprimento de todas as demais promessas de Deus em nossa vida. 

A salvação é o tema central da Bíblia. De Gênesis a Apocalipse, Deus revela que ele é o autor da salvação. 

“Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador.”  (Isaías 43.11).  

A promessa de Deus é a salvação. O evangelho é a promessa da vida que está em Jesus àqueles que estão mortos espiritualmente. 

A promessa da salvação é para todos os que agora ouvem a mensagem. Arrependam-se dos seus pecados e creiam em Jesus.  

A promessa da salvação é para vós e vossos filhos. Deus quer salvar famílias inteiras e abençoar as futuras gerações.

A salvação está unicamente no Senhor Jesus. Confesse Jesus como seu Salvador. 
Creia em Jesus e serás salvo, tu e tua casa. A família é o alvo da graça de Deus.

"E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?

E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa." 
(Atos 16.30,31) 


A promessa da salvação é para os que estão perto e para os que ainda estão longe. Deus chamará para a salvação pessoas de todas as nações. 
Jesus comprou pessoas que procedem de toda tribo, língua, povo e nação. 

Receba agora a promessa da salvação de Deus.  Em nome de Jesus. Amém.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Os Gigantes da Vida







Os Gigantes da Vida 



Haviam se passado anos desde que Davi derrotara o gigante Golias espetacularmente em nome de Deus. Agora o jovem pastorzinho tinha se tornado rei, era um guerreiro cansado e um homem de idade avançada quando Israel entrou outra vez em guerra contra os filisteus. O relato bíblico nos diz que numa batalha contra o inimigo, Davi ficou cansado (II Samuel 21:15-17) e um gigante chamado Is-Benobe, cuja lança pesava trezentos ciclos de bronze tentou mata-lo, mas foi defendido por Abisai. Quando o perigo passou, os homens de Israel disseram ao rei: “Nunca mais o rei sairá para batalha, pois não queremos que se apague a lâmpada de Israel”.
Mas os filisteus continuaram atacando e desta vez foi Sibecai que matou outro gigante chamado Safe. Aparentemente, estava tudo acabado quando em outra batalha contra o mesmo inimigo apareceu outro gigante cuja lança era como o rolo de um tear.
Desta vez foi Elanã que defendeu o rei. Finalmente, apareceu um gigante que tinha doze dedos nas mãos e doze nos pés. Este também desafiou Israel e foi morto por Jônatas, filho de Simei, irmão de Davi.
Qualquer pessoa que lê a história de Davi, pensa só no primeiro gigante que apareceu na vida do rei. Pouca gente sabe que a vida de Davi foi um permanente enfrentar gigantes. Os gigantes nunca o deixaram em paz. Atacaram-no quando era muito jovem e aparentemente não tinha forças para derrotar alguém maior do que ele, e atacaram-no também quando já era velho e cansava-se facilmente.
Os gigantes estão aí diante de nós, todos os dias. Não chega nunca o momento em que possamos dizer: “Venci definitivamente”. Não, eles estão aí esperando o momento de maior fraqueza, prontos a atacar-nos. Quais são seus gigantes? Por favor, não olhe para fora. Os maiores inimigos não são a adversidade, as dificuldades, as circunstâncias duras da vida. Os maiores gigantes geralmente vêm de dentro. São o orgulho, a suficiência própria, as mágoas e os ressentimentos que não nos deixam ser felizes.
Quão bom é saber que na batalha contra os gigantes desta vida, nunca estamos sós. Do outro lado da montanha, está Jesus, o gigante da História. Morreu, no Calvário, mas ao terceiro dia ressuscitou, vitorioso. Emergiu da morte e proclamou a vitória definitiva sobre o pecado. (Escrito pelo Pr. Alejandro Bullon)

A Reconciliação






A Reconciliação



Reconciliar é restituir algo que existia e que foi perdido.


A maior tragédia que aconteceu à raça humana foi o pecado.
O pecado rompeu nosso relacionamento com Deus. 
O pecado criou um abismo entre nós e Deus, nós e o nosso próximo além de efetuar lacunas profundas dentro da nossa alma.
Por causa do pecado o homem tornou-se inimigo de Deus, virou as costas para Deus, no entanto contrário a situação do homem, Deus nunca deixou de nos amar e nos atrair para si com cordas de amor. Nós somos os devedores, mas nossa dívida foi paga pelo credor. Foi Deus quem fez a restituição. 

A obra de Deus para o homem perdido foi a reconciliação, como comprovamos na santa palavra:  (2 Coríntios 5.18-21)

1. Deus é o autor da reconciliação

“E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;”  
(2Coríntios 5.18)


Observamos que o ofendido tomou a iniciativa de reconciliar consigo mesmo o ofensor. Deus não levou em conta os nossos pecados. Deus nos amou não por causa dos nossos merecimentos, mas apesar dos nossos pecados. Não por causa dos nossos méritos, mas apesar dos nossos deméritos. A salvação é obra de Deus e a reconciliação é iniciativa divina.

2. Deus é o agente da reconciliação em Jesus Cristo.

“Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.” (2Coríntios 5.19)

 Jesus Cristo é a ponte que nos liga a Deus, é a escada que liga a terra ao céu, é o caminho de volta para Deus. Jesus Cristo é a porta do céu. Não há outro salvador além de Jesus e só existe um mediador entre nós e Deus: Jesus Cristo. Portanto ninguém pode reconciliar-se com Deus senão por meio de Jesus Cristo. 

"Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem."
 (1 Timóteo. 2.5) 

Não são suas obras que recomendam você a Deus. Não são seus méritos pessoais que levam você de volta para Deus. Não é a sua religião que religa você a Deus. Só existe um caminho para Deus. Só existe uma porta do céu, só existe um salvador, um mediador, um redentor, este é Jesus Cristo Nosso Senhor.
Jesus se fez homem e morreu como homem. Mas só podemos ser salvos porque Jesus como nenhum homem, ressuscitou. Mortos não se tornam santos, não fazem milagres e não intercedem.

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."(João 14.6) 

3. Deus pagou o preço da reconciliação .

"Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus."
 (2 Coríntios 5.21) 

Deus não levou em conta as nossas transgressões, não imputou as nossas transgressões. 
O que aconteceu quando Jesus foi à cruz: 
3.1. Deus não colocou na sua conta os seus pecados, pois eles são impagáveis. O amor de Deus não leva em conta as nossas transgressões para nos reconciliar consigo mesmo.   
3.2. Deus colocou os nossos pecados sobre Jesus na cruz. Deus fez Jesus pecado por nós. O sacrifício de Cristo na cruz revelou o amor de Deus por nós. 
A cruz de Cristo é o resultado do amor de Deus. Deus lançou sobre Jesus todas as nossas iniquidades. Ele foi feito pecado por nós, ou seja foi feito maldição por nós. Ele carregou no madeiro os nossos pecados. Ele rasgou a divida que tínhamos com Deus ao dizer está consumado. A cruz de Cristo revelou o amor de Deus por nós. (Is 53.10) 
Na cruz, o Filho de Deus anulou esse escrito de dívida que era contra nós e quitou completamente nossa dívida. Deus foi além, colocando em nossa conta a perfeita justiça de Cristo, de tal maneira que não pesa mais sobre nós nenhuma condenação.
Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8.1). Deus nos cobre com a justiça do Seu filho. 
Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? (Rm 8.33). Não temos mais condenação.  
3.3.Somos feitos justiça de Deus. O preço reconciliação foi Jesus ter se feito pecado por nós. Deus não vê pecado, mas Ele vê a justiça de Deus em nos. Sem condenação. (Col 2.13,14) 
O  caminho de volta para Deus foi construído a partir da cruz de Cristo. Porque lá na cruz Ele abriu um novo e vivo caminho para Deus. (Hb 10.20) 

4. A oferta da reconciliação

"De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus". (2 Coríntios 5.20) 

Se volte para Deus, se arrependa dos seus pecados, ponha sua fé, sua confiança na pessoa de Jesus Cristo, porque no momento que você fizer isso: Deus cancelará seus pecados. 
Deus cobre você com a justiça do Seu Filho. 
Deus escreve seu nome no livro da vida. 
Deus sela você com o Espírito Santo da promessa, e 
Deus dá a você a alegria, a garantia e a certeza da vida eterna. 

Então você tem a alegria de se tornar membro da família de Deus, ovelha de Jesus Cristo, membro do corpo de Cristo e você fará parte deste povo remido e lavado no sangue de Jesus. Do povo que vai reinar com  Cristo por toda a eternidade, do povo que vai desfrutar das venturas da bem aventurança eterna pelos séculos sem fim. 

Hoje mesmo você pode voltar-se para Deus, Ele está de braços abertos para esperar você. A porta da graça está aberta. 
Hoje é dia de reconciliação com Deus.

Vamos orar. Coloque sua vida diante de Deus: 

Senhor Deus seja louvado pelo Teu grande amor e por Jesus Cristo Teu filho ter vindo ao mundo e dar a Sua vida em nosso resgate para nos reconciliar contigo.  Que a Tua palavra seja aplicada ao coração dessa pessoa que está lendo para que com urgência se volte para Ti e Te encontre, recebendo perdão e a festa da reconciliação. Em nome de Jesus, Amém. 

   (baseado no estudo de Hernandes Dias Lopes programa Verdade e Vida).           

Tipos de Religião




Tipos de Religião  

A palavra religião quer dizer religar, religar-nos a Deus. 


 Podemos constatar que é grande o número de religiões existentes no mundo, porém, elas compõem apenas dois tipos de religião. 

1. Existe aquela religião que ensina que o ser humano com seu esforço, com seu mérito, pelo seu merecimento pratica obras de caridade, cumpre seus deveres e segue regras morais, então ele sobe espiritualmente, chega a Deus e recebe de Deus o perdão, a salvação e a redenção. A salvação é recebida por méritos humanos. 

2. O outro tipo de religião funciona exatamente ao contrário, e é onde se encaixa o cristianismo. No cristianismo a salvação não é alguma coisa que o ser humano faz para merecer, mas é alguma coisa que Deus faz.  E não existe uma coisa que nos ligue a Deus, existe uma, e somente uma Pessoa que nos religa a Deus, Jesus Cristo. 

Alguns segmentos Cristãos mudaram a visão do cristianismo, enquadrando-se no primeiro tipo de religião.  
O verdadeiro cristianismo nos oferece a visão correta a respeito do ser humano. O ser humano por causa do pecado afastou-se de Deus. Há um abismo enorme entre nós e Deus, porque Deus é santo, justo, verdadeiro e bom e nós somos pecadores, inclinados ao mal, quebramos a lei de Deus por pensamentos, palavras e obras. Nós nunca poderíamos nos aproximar de Deus. 

Como um Deus santo pode se relacionar com pecadores como eu e você que o ofendemos constantemente com os nossos pecados? É aqui que entra o Evangelho nos mostrando que é Deus quem vem se reconciliar com o homem. O ofendido vem buscar reconciliação. 

Em Jesus, Deus veio se reconciliar com a criatura que o ofendeu. Deus veio se reconciliar com o pecador. 

O pecado foi a maior tragédia que aconteceu a raça humana, pois rompeu o nosso relacionamento com Deus. O pecado criou um abismo entre nós e Deus, entre nós e o nosso próximo e traz fissuras profundas dentro da nossa alma. O homem tornou-se inimigo de Deus, virou as costas para Deus, no entanto Deus nunca deixou de nos amar e nos atrair para si com cordas de amor. 

A ordem divina, segundo as Escrituras, é crer em Jesus Cristo, o único capaz de perdoar nossos pecados e nos conceder as promessas de salvação e vida eterna. 

A palavra de Deus diz que o Senhor nos amou sendo nós ainda pecadores (Rm 5:8). Isso quer dizer que seu amor é incondicional, ou seja, não deseja nada em troca e nem está sujeito ao que façamos. É por isso que Ele nos atrai ao seu amor. Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro (1 Jo 4:19). E seu amor está alicerçado em Jesus. Foi em Jesus que o amor de Deus se consumou. Foi no sacrifício de Jesus e Sua morte de cruz que o amor do Pai nos atraiu definitivamente. 

           

        




   


terça-feira, 6 de agosto de 2013

Lembrando-se dos Pais



Lembrando-se dos Pais




Podemos dizer aos pais que os filhos olharão e seguirão mais as atitudes deles do que as palavras por eles pronunciadas, por isso, suas atitudes devem deixar marcas que possam ser seguidas por aqueles que são parte deles.
Pais íntegros, justos, amáveis, sinceros, honestos e tementes a Deus, serão amados e respeitados por seus filhos. Seja um desses. Ame a Deus. Ame seus filhos. Ame toda a sua família.

A palavra de Deus ordena aos filhos: 

"Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo." (Efésios 6.1).

O que compete aos filhos é honrar aos pais, pois serão bem sucedidos neste mundo e ainda terão longa vida.  

Porém, alguns de nós não temos boas memórias dos nossos pais, alguns tiveram pais violentos, abusivos ou rudes, outros nem conheceram seus pais ou, se conheceram, foi muito pouco tempo.
Para alguns o dia dos pais, ao invés de ser um dia de comemoração e alegria, é um dia de tristes lembranças. Para outros ainda é um dia triste porque, apesar de ter tido um pai que foi bom e muito amado, ele já partiu deste mundo.
Graças a Deus, alguns têm boas lembranças e seus pais e eles podem comemorar este dia especial.
Mas é importante dizer que até a tristeza de alguns que não têm boas memórias dos seus pais, ou que sentem uma enorme saudade do pai que já partiu desta vida há um sentido especial no dia dos pais.

Por melhor que o nosso pai terrestre seja, um dia ele será vencido pela morte. Pode ser uma doença, um ato de violência, ou o fim das forças desse corpo. Um dia até o melhor dos pais desta vida deixará de nos ajudar como pai. Mas Deus não morre, ele não vai embora. Ele não esquece. E mesmo que a luta seja longa, ele derrota qualquer inimigo. 

“... a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;" (João 1.12)

Você tem um pai que sempre lhe amou. Apesar das experiências que teve nesta vida você tem um pai que nunca lhe abandonou, você tem um pai que, desde antes do seu nascimento tem trabalhado e operado para que você tivesse toda a felicidade possível a um ser humano. Este pai é o nosso Deus.

Deus está conosco, cuidando, protegendo, nos guiando pelo seu Espírito, pela Palavra. Deus está mais presente do que qualquer pai biológico poderia estar. Ele é o nosso verdadeiro Pai.  
Dê o louvor de um coração sincero e grato por tudo que Ele tem feito na sua vida.

  
Pai!
Que Deus o cubra com o Seu poder, com
Seu amor, com a Sua misericórdia, ensinando-o a ser sábio prudente, compreensivo, amoroso, justo e fiel.