terça-feira, 30 de setembro de 2014

Seu Voto Não Vale Nada





    Seu voto não vale nada


Sabe aquela sensação de que o voto é para o menos pior e não para o melhor? Isso acontece porque os políticos são um reflexo daquilo que nós somos…

Notícias – 29 de setembro de 2014
Por: Claudia Giron Munck é Bacharel em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, Pós-Graduada em Comunicação Organizacional e Relações Públicas, especializada em Mídias Digitais.

Sabe aquela sensação de que estamos escolhendo o “menos pior” e não o “melhor”, porque não há opção? Votar não vai mudar nada.
Isso acontece porque os políticos são um reflexo daquilo que nós somos. Não, não é porque você votou no que ele representa. É porque reclamamos dos políticos, da corrupção, mas fazemos as mesmas coisas que eles no dia-a-dia.
Nós compramos a carteira de motorista. Mentimos ao telefone e no Imposto de Renda, compramos produtos falsos, utilizamos peças similares ou itens que podem ter sido roubados, mas são mais baratos. Subornamos o guarda de trânsito. Dizemos que vamos ligar e não ligamos. Nosso sim pode significar um não ou um talvez, tanto faz. Jogamos lixo e bituca de cigarro na rua, varremos as folhas e deixamos um restinho no vizinho. A água está acabando, achamos que a culpa é só do governador (não que também não seja) e discutimos isso lavando o carro.
Se nós, população, tivéssemos um cargo público e continuássemos com o mesmo caráter e o mesmo comportamento que temos diariamente, seríamos exatamente igual a eles. A única diferença é que o que eles fazem assume uma proporção maior, embora não mais nem menos incorreta.
O rapaz que finge estar dormindo e não dá lugar a um idoso no trem é equivalente ao político que desvia o dinheiro de fundo de pensão ou de hospitais. A senhora que usa uma bolsa maior para levar salgadinhos de um casamento não é diferente de um político que desvia carne da merenda escolar. Mudam-se as dimensões, mas a motivação do comportamento é a mesma.
Não temos valores, não temos tempo para ensinar valores aos nossos filhos – eles só conhecem a galinha pintadinha – e esperamos que alguém, algum dia, num passe de mágica, seja correto e faça algo por nós. Mas a sociedade é aquilo que nós somos.
Quem não é fiel no pouco, também não é fiel no muito. Então, pare de achar que o voto é que vai fazer a diferença. Ou que simplesmente sair na rua com uma plaquinha com frase de efeito mudará o país. O país vai mudar, quando você mudar – no pouco e no muito.
Quando nós entendermos que precisamos participar das atividades de nossos filhos na escola. Que os professores precisam de salários mais altos, mas também precisam do respeito na sala de aula. Quando passearmos com o cachorro na rua e recolhermos o cocô. Quando nosso sim, significar sim e nosso não, significar não.
Aí sim, o país será diferente, não por causa de um político, mas por uma população que resolveu fazer a diferença, desde as pequenas coisas.
Seja no cotidiano a mudança que você quer para o seu país.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Primavera




Estações na Vida


"E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder." (Atos dos Apóstolos 1:7)

Jesus adverte no livro de Atos dos Apóstolos que Deus rege tudo o que acontece neste planeta. Em Suas próprias palavras de Jesus, o Pai estabeleceu tempos e estações, pelo seu próprio poder. Porém, além das estações do tempo, existem estações em nossa vida. As lutas e sofrimentos representam o inverno. O inverno parece que não vai acabar e que a primavera nunca vai chegar. Mas ela sempre chega para tirar toda a ansiedade. E a primavera traz consigo os dias maravilhosos de sol! Ouvimos novamente o cantar dos pássaros no despertar das manhãs. E  de variadas cores belas flores renascem na terra.

"...o inverno já passou... aparecem as flores na terra e chegou o tempo de cantar" (Cantares 2.11a-12).

Inverno é símbolo de aflição.  Quando há aflições é como se uma trouxesse outra, nunca termina. Parece que não têm fim!
No inverno, temos a época mais fria do ano, marcada pela neve (em algumas regiões) e ausência de fertilidade. Assim como em nosso planeta, também em nossas vidas, enfrentamos os invernos. Aqueles períodos em que ficamos sem poder fazer nada diante das situações adversas, fechados dentro de nós mesmos e às vezes rigorosamente fechados até mesmo dentro de nossas casas e quartos, não conseguindo sentir o calor das pessoas, da motivação e do entusiasmo, não conseguindo frutificar em praticamente nenhum sentido.

Um pregador do passado (MacLaren) disse que nenhuma flor nasce no paraíso que não tenha sido plantada no Getsêmani, o lugar da profunda angústia de Jesus antes de ir à cruz. Mas fugindo a lógica, a maior alegria do cristão vem através da aflição. Assim, não nos desesperemos, pois após o inverno, vem a primavera. 

O termo primavera significa “princípio da boa estação”. A primavera é tipicamente associada ao reflorescimento da flora e da fauna terrestres. É a estação das flores. Também em nossa existência, a primavera é tempo de florescer. É tempo de sairmos de nossas prisões interiores, tempo de acordarmos do sono do período de hibernação, tempo de voltar a sonhar, de ver o colorido da vida, de fazer planos, de sair da clausura, de amar, de viver.

Há dias melhores à nossa frente. O inverno vai passar. Deus tem maravilhas para o cristão, que virão como a primavera. E depois ainda virá o verão, ainda muito melhor. O tempo de cantar não está assim tão longe!

A figueira começa a dar seus frutos e as vides exalam seu aroma – há esperança! Esperemos, pois, confiantes, seguros em nossa fé, que o Senhor Jesus sempre envia a primavera à nossa vida apesar de todo o inverno. E depois da primavera, o verão! Jesus ensinou seus discípulos que no mundo temos muitas aflições, contudo não devemos estar tão preocupados assim porque ele venceu o mundo (Jo 16.33) - e nós também seremos mais do que vencedores. – JG

O tempo pertence ao Senhor! O tempo de sua vida também está nas mãos dEle. Não se desespere quando o relógio parecer correr contra você! O seu Deus manda no tempo e está acima dele. E, na ocasião oportuna, lhe alcançará com a graça que você tanto precisa!


Como a primavera depois do inverno, o consolo de Deus vem depois da aflição.


Baseado Pão Diário - Radio Transmundial.