quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Cartas na Prisão


   




Cartas na Prisão


"E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram tem servido para o progresso evangelho; de maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda do palácio, e por todos os demais lugares; e muitos dos irmãos no Senhor, que tem sido incentivados com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.” (Filipenses 1.12-14)

Após o acidente que sofri que resultou em tetraplegia, precisei usar uma cadeira de rodas, assim como precisei buscar formas para usar os poucos movimentos que me restaram.
Com o auxílio de um adaptador no braço esquerdo e uma máquina elétrica, mais tarde com o computador, foi-me possível escrever cartas e manter correspondência com presidiários e ter um pouco de conhecimento desta realidade. 
A Bíblia nos conta que Paulo esteve preso. Eu não sou como Paulo; eu não estou na prisão. Mas eu posso me identificar com as grades de uma cela de prisão. Esta cadeira de rodas que eu uso para me locomover é feita de uma grande quantidade de metal, e, de certa forma, é confinante. Acho que é por isso que alguns prisioneiros se identificam com minha situação. Confirmei isso no tempo em que me correspondi com eles. Meu testemunho encorajava-os, e eles podiam olhar para a minha cadeira e entender com a semelhança de nossa situação. 
Mesmo que eu não saiba nada do tipo de prisão que o apóstolo Paulo passou, eu sei que ele teve uma sábia atitude demonstrada através do versículo em destaque, onde ele basicamente diz: - Se eu estou em cadeias, essas barras devem me ajudar a espalhar a boa notícia. E o meu encarceramento ajudará os outros a se tornarem fortes. 
Eu li cartas de prisioneiros que aproveitaram a prisão como uma oportunidade para se aproximarem de Cristo. Eu posso dizer a mesma coisa, pois eu estou em uma cadeira de rodas e estes parafusos e barras podem me dar uma chance para espalhar a boa notícia para quem sofre de confinamento e limitações. 
O apóstolo Paulo foi impedido de viajar e pregar por estar numa prisão, mas além de ajudar os que estavam presos escreveu cartas que estão sendo lidas por vários séculos na Bíblia Sagrada, ensinando, fortalecendo, edificando e abençoando até o dia de hoje. A sua mente estava ocupada com a pessoa de Jesus Cristo e não com seus sofrimentos na prisão.
Quais são as suas correntes? Talvez você se sente algemado pela pia da cozinha. Talvez você se sinta acorrentado a sua mesa com folga apenas para chegar ao banheiro e a cafeteira. Talvez você se sente preso em um casamento difícil. Talvez você se sinta confinado por uma doença física, ou emocional. 
As barras que nos confinam podem nos abençoar e abençoar outros, pois por causa delas, a maneira como as enfrentamos, poderemos escrever cartas que tocarão vidas para Deus. O que aconteceu com você tem servido para o progresso do evangelho de Cristo? Deveria. É o local a partir do qual Deus quer trabalhar.
Poderíamos facilmente nos ressentir por nossas circunstâncias. Mas considere as palavras do apóstolo Paulo sobre suas cadeias. Ele diz-nos através da escrita que Deus colocou esses confinamentos em você para que você possa usá-los para ajudar ainda mais na difusão do Evangelho.
Portanto, gostaria de encorajá-lo não só ouvir, mas agir na Palavra de Deus, qualquer que seja seu confinamento. Alegre-se com o que faz você se sentir confinado. Peça a Deus para abrir os olhos do vosso coração, como ele diz em Efésios 1:18; peça para ajudá-lo a ver as suas circunstâncias como a própria prisão que pode libertá-lo. É como eu olho para a minha cadeira de rodas, quero encorajá-lo a olhar para a sua própria prisão. Vamos pedir a Deus para mudar o nosso mundo, assim como Paulo mudou.

Oro: Senhor Jesus, ajuda-me a me alegrar nos confinamentos da minha vida. Capacita-me a ver as minhas circunstâncias, como limites a serem usados para o teu mover sobre a vida de outros.



Baseado no devocional de Joni Earecson Tada

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Egoísmo






Egoísmo

“Então disse Ezequias a Isaías: Boa é a palavra do Senhor que disseste. Disse mais: Pois haverá paz e verdade em meus dias.” (Isaías 39: 8)


O dicionário define egoísmo como o amor excessivo ao bem próprio, sem consideração aos interesses alheios. O egoísmo sempre existiu e domina a maioria das pessoas. Os homens são amantes de si mesmos tornando a vida do seu semelhante cada vez mais dura e sofrida. O egoísmo é um dos grandes flagelos da humanidade. 
Podemos entender melhor sobre egoísmo ao observarmos na Bíblia a história do rei Ezequias:
Ao receber, através do profeta, o anuncio de que iria morrer, Ezequias orou a Deus e foi duplamente abençoado. Ezequias além de ser poupado de uma morte dolorosa ganhando mais quinze anos de vida, recebeu a promessa de Deus de que seu reino seria poupado dos assírios. A gratidão de Ezequias, porém, tinha apenas a si mesmo em mente. 
Deus deixou claro para Ezequias, através do anúncio do profeta, que ele seria poupado, mas que, depois de sua morte, seus tesouros, bem como o povo de Israel e seu próprios filhos seriam levados para a Babilônia, nada seria deixado. 
A resposta de Ezequias à notícia de Deus no versículo em destaque revela como ele era egoísta. Parecia não se importar com o que estava por vir. Alegrou-se de que as coisas anunciadas não sucederiam enquanto fosse vivo, mas com os de sua geração, no futuro. Por isso é que ele disse que eram boas as palavras do profeta a seu respeito. Em toda a sua vida teria paz e segurança.
Mais tarde ao receber um emissário babilônico, Ezequias contou sobre sua restauração. Ele ainda foi mostrar os armazéns do rei contendo todas as riquezas, como que para aguçar o apetite da Babilônia para a conquista. Sua ação demonstrou que ele buscava ajuda contra problemas futuros por meio de uma aliança com a Babilônia, em vez de procurar o socorro do Senhor. A preservação de sua vida sem sofrimento era somente o que importava e, não o que seus filhos iriam sofrer ou se os de Israel, a menina dos olhos de Deus, seriam escravizados. Ele teria paz e segurança e somente isso importava. 
Não podemos justificar uma atitude egoísta como a de Ezequias. Só porque vivemos em dias perigosos não temos desculpa para ignorar a próxima geração. A responsabilidade não será tirada de ninguém. Cada um de nós deve proteger o nosso armazém de fé e assegurar, através de todos os meios disponíveis, que tomamos decisões para além do nosso tempo de vida. O que fizermos deve ser útil para outros no presente e para ser usado para a próxima geração. As nossas palavras, os nossos votos, as nossas orações e tudo que pudermos fazer deve ser aproveitado para proteger os nossos descendentes do cativeiro de um mundo imprudente e insano. 


Senhor, que eu não seja egoísta e me contente com a paz na minha vida. Posso, mesmo sendo difícil, sacrificar o luxo de hoje pela a liberdade de amanhã. E que tudo possa redundar em benção para a geração presente e futura. Em nome de Jesus.

Mudando o Presidente











Mudando o Presidente






Os acontecimentos recentes de nosso país sobre a mudança de presidente nos levam a meditar sobre a situação de nossa sociedade, onde a corrupção e o engano tem prejudicado a muitos e, sem julgarmos este ou aquele governo, vemos que são necessárias mudanças. Mas é importante fazermos um paralelo com o campo espiritual e sabermos que a mudança de presidente deve acontecer em nossas vidas também.
A primeira coisa que aprendemos quando nos convertemos ao evangelho é que Jesus morreu pelos nossos pecados, então tudo que fizemos está perdoado, tudo foi pago na cruz. Mas, muitas vezes, mesmo sabendo disso temos dificuldade em viver em santidade, temos dificuldade em viver as verdades do evangelho. Continuamos pecando e precisando de arrependimento e perdão.
A razão disso é porque só entendemos uma parte do evangelho. Entendemos que Jesus morreu para perdoar nossos pecados, mas a segunda parte mais difícil de entender é que ele ressuscitou e agora vive dentro de nós.

“Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória;” (Colossences 1.27)

O que significa “Cristo em vós”? 
Nós sabemos que Ele habita em nós, mas não temos conseguido viver uma vida abundante porque nós chamamos Cristo somente para nos auxiliar e permanecemos na presidência. Nós somos o presidente e Jesus é apenas um auxiliar. O que deve acontecer é a nossa renúncia. Precisamos sair da presidência de nossas vidas para que Cristo assuma o comando. É necessário mudar o senhorio da nossa vida. E o que deve acontecer é Cristo vivendo a vida através de nós. 

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gálatas 2.20)

Somente ser perdoado dos nossos pecados passados não é suficiente, necessário é que uma nova liderança assuma no presente garantindo o futuro esperado. Paulo saiu da presidência da sua vida e deixou Cristo assumir o senhorio dela.
Ao deixarmos que Cristo reine confirmaremos que Ele é a nossa esperança de vermos e vivermos dias melhores. Cristo está em nós e Ele nos conduz a recebermos o melhor de Deus em nossa vida e a levarmos aos outros. É maravilhoso poder contar o que Deus fez por você, mas muito mais maravilhoso é poder contar o que Deus fez através de você.
Você pode, por causa de algum problema vivido, duvidar que Deus possa manifestar sua vida através de você, mas a palavra nos mostra que Deus só vai poder te usar como ele usou alguns personagens bíblicos problemáticos como Moisés, Davi, Isaías, José ou  Pedro. Grandes nomes na obra de Deus.
Não interessa o que tenha acontecido em sua vida, nada impedirá o trabalho de Deus, pois quanto pior é o vaso fica mais evidente que o que interessa é o tesouro que está dentro. A glória vem por causa dele. Cristo em vós esperança da glória!  
        
                  



Baseado: link Impeachment - Douglas Gonçalves - Jesuscopy
https://www.facebook.com/jesuscopy/?fref=ts  

sábado, 3 de setembro de 2016

Vítima ou Vitoriosa?



Vítima ou Vitoriosa?


"Tendo provado a bebida, Jesus disse: "Está consumado". Com isso, ele abaixou a cabeça e entregou o espírito". (João 19:30)


Nos muitos acontecimentos de nossa vida nossas reações determinarão nossa posição. Podemos mudar nossa posição com a orientação certa. Podemos mudar de vítimas para vitoriosos.
Eu sou vítima de um terrível acidente de carro que me deixou paralisada dos ombros para baixo. No inicio eu até procurei culpados. Depois julguei que enfrentaria tudo com minhas forças. Mas depois de anos em uma cadeira de rodas, comecei a cansar de sentir pena de mim mesma e vi também que minha autossuficiência não era suficiente. Voltei-me para a Bíblia, e o meu guia tornou-se o Espírito Santo. 
Por minha força não poderia enfrentar uma vida de paralisia com uma atitude feliz. É simplesmente muito para mim. Mas louvo a Deus porque Ele não pede isso de mim. Ele só pede que eu tome um dia de cada vez. Foi fundamental este entendimento da Escritura, pois apontou para o caminho longe da auto piedade.
A verdade era que eu tinha sofrido um acidente causado por um motorista imprudente e qualquer um poderia ter sido atingido. Essa verdade foi muito importante, juntamente com outras verdades que fui recebendo pela graça de Deus e pude perceber que filhos de Deus nunca são vítimas. Tudo o que toca suas vidas, Ele permite para levá-los à vitória.  
A ironia é que você não pode imaginar uma pessoa mais vitimizada do que Jesus. No entanto, quando Ele morreu, Ele não disse: "Eu estou acabado", mas "Está consumado". Ele não se fez de vítima e, assim, ele saiu vitorioso. 
Esqueça a auto-piedade ou a autossuficiência. É verdade, o seu supervisor pode estar tentando empurrá-lo para fora do seu trabalho. Seu casamento pode ser uma prova de fogo. Você pode estar vivendo abaixo do nível da pobreza. Mas a vitória é nossa em Cristo. Sua graça é suficiente. Conheça esta verdade, e ela vos libertará e fará vitoriosos. 

Neste dia, Jesus, eu posso sentir pena de mim mesmo ou sentir-me vitoriosa em Ti. Mostre-me como escolher o último. 


Baseado no devocional Joni  Eareckson Tada

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Comprando o Campo



                        Comprando o Campo

"O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo. Quando um homem encontrou, ele escondeu-o de novo, e, em seguida, em sua alegria foi, vendeu tudo que tinha e comprou aquele campo."  (Mateus 13:44)


Quando abraçamos a vontade de Deus para nossa vida, tudo muda. É muito parecido com a parábola do tesouro escondido. A palavra-chave no versículo em destaque é "comprou". Temos de comprar o campo.
Jesus falou de coisas valiosas para se referir ao reino dos céus. A importância do reino dos céus é tão grande que deveríamos nos desprender de tudo o que possuímos para que possamos adquirir este tesouro espiritual e de valor eterno, oculto aos olhos humanos.

Ao descobrir a riqueza que há em Cristo, devemos nos apressar em adquiri-lo, porque este tesouro foi adquirido pelo alto preço que o próprio Jesus pagou por nós em Sua morte na cruz. Mas o que é importante ressaltar é que nós temos de comprar o campo. 
Vender tudo, a fim de comprar o campo nos leva a possuir o tesouro escondido nesse campo. Eu não trocaria nem desistiria dele por nada no mundo. Eu estou falando sobre a vontade de Deus para a minha vida; e que, obviamente, inclui esta cadeira de rodas. Quando aceitamos vontade de Deus, cadeira de rodas e tudo, é incrível como tudo muda.
Ao pensamos no lugar do tesouro que Deus tem para nós assumirmos, julgamos que deve ser agradável, atraente, algo que nós gostaríamos de comprar de qualquer maneira, até fácil de obter, algo que todos gostariam de comprar. 
O campo que Deus quer nos vender quase nunca é um belo prado ensolarado e coberto com flores silvestres, ele é geralmente frio, vazio e feio, com garrafas quebradas e pneus velhos, estéril e com vegetação raquítica e feia.  A maioria diria que o campo não tem valor imobiliário. Contudo, é o campo que Deus quer nos vender e precisamos vender tudo para possuir. 
Mas aqui está o problema (e é por isso que eu não trocaria a vontade de Deus para a minha vida nesta cadeira de rodas por qualquer coisa), quando você sabe que o campo feio, frio e vazio contém um tesouro rico e maravilhoso, tudo muda. A sucata vazia e feia que todo mundo deixa de olhar, de repente é cheia de possibilidades. E nós queremos não apenas aceitá-la, mas vendemos tudo o que temos, a fim de comprá-la.
No meu caso, "vender tudo" significava desistir da auto-piedade e ressentimento por um corpo que já não funciona. Vender tudo significava deixar para trás as minhas perguntas e seguir em frente com fé. Isso significava investir as horas em que fui forçado a ficar sentada nesta cadeira de rodas, investir essas horas na Palavra de Deus e na oração, como se fossem a picareta e a pá, a fim de descobrir, cavar e desenterrar o tesouro escondido. 
As pessoas olham para mim nesta cadeira de rodas e tudo o que veem são as pernas paralisadas, e mãos que não funcionam. Eu acho que ninguém gostaria de comprar o campo que eu possuo. Muitas pessoas não iriam querer isso. Mas, para mim, é um belo campo porque nele, lá no fundo abaixo da superfície, está o tesouro, o tesouro inestimável de conhecer melhor Jesus. É como Mateus capítulo 13 diz ... É o reino dos céus. 
O que o seu campo parece? Que tesouros que você encontrou até agora? Que investimentos você precisa fazer para descobrir outros achados?

Senhor Jesus, como eu examino a terra que eu comprei por um preço tão grande (desisti de minha vontade, minhas preferências e meu orgulho), ajuda-me a ver os tesouros que ela contém. Ajuda-me a lembrar que o tesouro está enterrado, pronto para ser desenterrado.

Bênçãos,


Baseado no devocional Joni Eareckson Tada.