terça-feira, 22 de novembro de 2016

Milagres do Espírito




 

Milagres do Espírito

"... Mas se alguém for ter com eles dentre os mortos, eles vão se arrepender!" Mas ele lhes disse: 'se eles não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão persuadir que ressuscite alguém dentre os mortos."  (Lucas 16: 30,31)

No mês de novembro acontece o aniversário do acidente automobilístico que sofri e que resultou em tetraplegia. Cristãos bem-intencionados têm, por vezes, olhado para a minha cadeira de rodas e dizem: "Pense que testemunho ao mundo que você seria se Deus levantasse você dessa cadeira!" Eles assumem que todos os incrédulos que já viram ou ouviram de mim, por esse milagre, seriam convencidos do poder e da verdade de Deus. 
Minha experiência me permite afirmar: "Um milagre não vai fazer o convincente." Esse é o trabalho do Espírito Santo. É verdade, o Espírito pode usar milagres ocasionais para aumentar seu trabalho, mas mesmo quando homens foram ressuscitados dentre os mortos pelo poder do Espírito, as pessoas não foram persuadidas. E se um homem morto levantando e saindo para fora da sepultura não convence, eu não tenho tanta certeza que uma mulher paralisada levantar-se da cadeira de rodas convencerá, também. As pessoas provavelmente diriam: "Ela nunca foi paralisada." 
Não olhamos para os sinais e maravilhas, esperando que estes atraiam os amigos incrédulos para o reino? "Se Deus curasse seu bebê, eu sei que ela iria acreditar." Isso é presunção e, talvez, é falta de fé. Deus não precisa nem de homens mortos andando ou pessoas paralisadas a dançar. O verdadeiro milagre do Espírito é "... convencerá o mundo de culpa em relação ao pecado, da justiça e do juízo: no que diz respeito ao pecado, porque os homens não acreditam em mim ..." (João 16: 8,9) . É o coração pecador que ele quer curar. 
Para mim, o verdadeiro milagre significa sentar nesta cadeira de rodas e poder sorrir. Todo dia eu experimento milagres de paciência e perseverança, resistência e auto controle. Esta ordinária (que é tão extraordinária) obra do Espírito é suficiente. Estou mais preocupada com um coração que funciona, do que as mãos.

Senhor,
Que o meu coração seja a sede do seu poder milagroso de hoje.


Visite:
http://www.joniandfriends.org/daily-devotional/

sábado, 19 de novembro de 2016

35 Anos



















Trinta e cinco anos atrás, eu sofri um acidente que alterou completamente a minha vida. No início, quando os médicos me disseram que eu seria uma tetraplégica foi muito triste. Felizmente recebi ajuda de familiares e amigos e comecei a dar uma olhada na Bíblia para ver o que Deus tinha a dizer sobre a minha situação. 
O acidente aconteceu em Novembro de 1981. Eu sofri uma fratura na quinta vértebra da coluna cervical que resultou em tetraplegia. Algumas pessoas perguntam como eu posso sorrir, apesar de um pescoço quebrado, apesar da tetraplegia. Minha resposta? É por causa de Jesus, homem de dores. Jesus foi humilhado, açoitado, espancado e acusado de um mal que Ele nunca tinha cometido; Ele foi crucificado - preso a uma cruz. Durante seis horas esgotantes, Jesus suportou a dor excruciante, angustiante - a ponto de gritar, (Marcos 15; João 19; Mateus 27) "Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?". E é em dias de luta, quando eu sinto que talvez Deus se esqueceu de mim - que eu me lembro que eu não estou sozinha. 
Jesus sofreu o abandono por seu pai, para poder dizer-me: "Eu nunca te abandonarei, nunca deixarei você!" É um lembrete precioso para você, também, caro amigo. Porque o que quer que seu sofrimento - seja a dor crônica, um casamento desfeito, um filho desobediente - lembre-se que Deus vê o seu sofrimento, Ele ouve o seu clamor, e ele sabe sobre a sua dor. E através de Jesus Cristo e do poder do Espírito Santo, você também pode "alegrar-se no seu sofrimento" (Romanos 5).
Estar sentada em uma cadeira de rodas há 35 anos não é simples. É uma luta diária com o desconforto e a dependência. Mas o que me ajudou é que essa caminhada permitiu a minha proximidade de Jesus. Minha deficiência tem uma maneira de levar-me para perto de meu Salvador, muito mais perto do que eu estaria se eu estivesse em meus pés.  Nos momentos mais difíceis posso gozar a doce e preciosa proximidade de Jesus. E isso me traz felicidade, o meu sofrimento me dá uma unidade especial. A unidade não aconteceria se não fosse por minha própria aflição. 
Quando nós suportamos coisas difíceis e dolorosos por Jesus e com Jesus, então e só então nós provamos e vemos o quão bom foi o sofrimento de nosso Senhor, que faz com que as nossas próprias aflições sejam doce. Nós lhe damos o nosso sofrimento, e Ele nos dá a Sua doçura. Nós lhe damos nossa confusão, e Ele nos dá a clareza. Nós lhe damos nossa impaciência, e Ele nos dá a Sua resistência. Tudo o que nós trazemos a Ele que está quebrado, Ele abençoa.
Eu aprendi que o Deus da Bíblia não é somente por vezes soberano. Ele não ocupa um dia o trono e desocupa-o no próximo dia. Ele é extremamente responsável. Confio Nele, e para mim, o Seu propósito significou receber e dar o amor de Cristo fazendo valer a pena décadas de uma vida em uma cadeira de rodas.


John Wesley que escreveu: "Mesmo nas maiores aflições, devemos testemunhar a Deus, para que, em recebê-las de sua mão, sintamos prazer no meio da dor, ao ser afligido por Aquele que nos ama, e a quem amamos ".


Foi Santo Inácio, que uma vez escreveu: "Todos os prazeres do mundo não são nada em comparação com a doçura encontrada no fel e vinagre oferecido a Jesus Cristo. A chama do Amor Divino nunca se eleva mais alto do que quando alimentada com a madeira da Cruz, que é a caridade infinita do Salvador usada para terminar o Seu sacrifício."



Testemunho real de Clarice Pessato com comentário inspirado no testemunho de Joni Earecson Tada.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Trinca e Cinco Anos




















Trinca e Cinco Anos

Pode não parecer uma data para lembrar ou comemorar, mas é um aniversário para mim!
O dia 22 de Novembro é, na verdade, um aniversário significativo porque estará marcando 35 anos desde aquele domingo à tarde quando eu quebrei meu pescoço num acidente de trânsito. 
Foi no ano de 1981. Trinta e cinco anos! Eu não posso acreditar que eu tenho sobrevivido todo esse tempo - e sobrevivi tão bem. E como eu agradeço a Deus pela maneira como ele me guiou através desses anos.
Um pescoço quebrado: tetraplegia ao longo da vida, nunca ser capaz de usar as mãos ou correr ou caminhar, foi totalmente esmagador para uma jovem de 18 anos como eu. Mas Deus me deu o apoio de uma família maravilhosa, e amigos cristãos que oraram por mim.
Estar sentada em uma cadeira de rodas há 35 anos não é simples. É uma luta diária com o desconforto e a dependência. Mas o que me ajudou é que essa caminhada permitiu a minha proximidade de Jesus. Minha deficiência tem uma maneira de levar-me para perto de meu Salvador, muito mais perto do que eu estaria se eu estivesse em meus pés.  
Comecei a dar uma olhada na Bíblia para ver o que Deus tinha a dizer sobre a minha situação. E foi na busca da palavra de Deus que descobri verdades bíblicas que se tornaram âncoras para sobreviver: O Senhor é meu pastor - Cristo se entregou por mim - Nada é demasiado difícil para o Senhor - Eu nunca vou deixar você - Tudo funciona para o bem – ...
Estou convencida, olhando para trás nesses 35 anos, que Deus me permitiu passar o que eu deveria passar. Eu não vou entender tudo, ele, porém vai tornar simples. Por enquanto só sei que ele tem as rédeas da minha vida; sei que nada é difícil demais para o Senhor e ele nunca vai me deixar. 
E é isso que eu estou comemorando este mês, o aniversário do acidente que tão terrivelmente alterou minha vida. Foram esses pequenos passos, pequenos trechos das Escrituras, que me permitiram avançar, passo a passo, pela complexidade da soberania de Deus, sabendo que em tudo Deus está no controle das coisas.
Agora, aqui estou eu, olhando para trás, para todos com profunda gratidão, olho para Deus, assim como para minha família e amigos.
Lembre-se, se você está sofrendo hoje ou lutando, segure pequenas e sólidas poderosas verdades: O Senhor é o seu pastor. Cristo deu a si mesmo por você. Ele nunca te deixará nem te desamparará. Segure-se a essas verdades e você vai encontrar forças para seguir em frente.
Nada disto seria possível se não fosse a morte e ressurreição de nosso glorioso Salvador, Jesus. Então, muitas pessoas precisam ver que seus sofrimentos podem ter propósito e significado, mas somente se eles resultam em conhecer a Cristo como Senhor e Salvador.   



Testemunho real de Clarice Pessato com comentário inspirado no testemunho de Joni Earecson Tada