terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Depois do Carnaval



                                Depois do Carnaval
                                                                         
" Eu sempre fui de brincar, de sorrir, de cantar, de viver a vontade. Nos carnavais foliões, em diversos salões, quanta felicidade! 
E na brincadeira de viver, brinquei demais e quis morrer. Risos passageiros, falsas alegrias, lágrimas, angústias, tristes fantasias, dia a menos dia descobri que resta cinza em plena quarta-feira prá comemorar"...

Numa chamada ‘liberdade’, milhões de pessoas tomaram conta de ruas e clubes nesses dias, deixando todos os seus desejos serem liberados na festa mais popular do Brasil, o carnaval. A festa da carne, da celebração de uma alegria superficial e passageira.
E os resultados da ilusão desses quatro dias de folia são sempre catastróficos. “Depois do Carnaval”, o número de violência, de balbúrdia, de separações, de decepções, de engravidadas, dos que se contaminaram com Aids, dos mortos, dos roubos, dos..., sempre surpreende.
A poetiza Cecília Meireles já dizia em um de seus textos: “Terminado o Carnaval, eis que nos encontramos com os seus melancólicos despojos: pelas ruas desertas, os pavilhões, arquibancadas e passarelas são uns tristes esqueletos de madeira; oscilam no ar farrapos de ornamentos sem sentido, magros, amarelos e encarnados, batidos pelo vento, enrodilhados em suas cordas; torres coloridas, como desmesurados brinquedos, sustentam-se de pé, intrusas, anômalas, entre as árvores e os postes. Acabou-se o artifício, desmanchou-se a mágica, volta-se à realidade”. Esta festa acaba em cinzas, há um vazio, uma dor, uma culpa.
“Depois do Carnaval” vêm outros carnavais, por isso, cabe aqui, a frase final do texto de Cecília Meireles: “Mas, agora que o Carnaval passou, que vamos fazer de tantos quilos de miçangas, de tantos olhos faraônicos, de tantas coroas superpostas, de tantas plumas, leques, sombrinhas...? [...] Mas os homens gostam da ilusão. E já vão preparar o próximo Carnaval...”
A ilusão continua porque o coração do homem fica desprovido do temor de Deus, sequer se lembra que Deus existe, ou que Jesus, Seu Filho amado, morreu na cruz do Calvário para que pudéssemos viver a vida abundante. Mas é possível mudar essa realidade. Como? Buscando o que é verdadeiro e permanente, trazendo todo o vazio existente em nossas vidas, toda aquela procura vã ao Senhor Jesus. Jesus não é ilusão é solução.

A alegria do carnaval não é verdadeira, mas existe uma alegria pura, plena e permanente. Entregue seu coração a Jesus e experimente a verdadeira festa! A festa celestial! 

"... Mas, houve alguém que chegou quando a festa acabou, quando já era tarde, trouxe alegria melhor, um sorriso maior, plena felicidade!
Hoje eu sei de fato o que é cantar, brincar e sorrir. Tudo é mais bonito e nada mais seduz do que ter na vida alguém como Jesus, trás esperança, alma de criança, vida eterna e confiança em seu imenso amor e luz." Autor Desconhecido  

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Você Gostaria de Ser Deficiente?





Você Gostaria de Ser Deficiente?


"E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, e, vendo, vereis, mas não percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, e ouviram de mau grado com seus ouvidos, e fecharam seus olhos; para que não vejam com os olhos, e ouçam com os ouvidos, e compreendam com o coração, e se convertam, e eu os cure." (Mateus 13: 14-15)

Se há 35 anos atrás, quando eu enfrentava a tetraplegia como consequência de um acidente de trânsito, você tivesse me dito que eu ficaria numa cadeira de rodas e que isso seria para testemunhar de Cristo, eu não acreditaria. Mas isso foi exatamente o que Deus planejou. 
Jeremias 29:11 nos diz que Deus conhece os planos que Ele tem para nós. Eles são bons planos, projetados para você, para lhe dar um futuro e uma esperança. Porém para mim a pergunta é: "Se eu tivesse o poder, eu ia voltar e escolher minha vida em uma cadeira de rodas?" Deus me ensinou muito através da minha cadeira de rodas. Mas eu gostaria de fazer isso de novo? Acho que não.
Não consigo pensar em ninguém que deseje ser paralisado. Quem seria tolo o suficiente para escolher não usar as pernas e as mãos? Pode você imaginar alguém que quer ser cego, escolhendo a escuridão sobre o brilho de um céu azul desobstruído? Quem quereria fechar deliberadamente seus olhos contra a visão de um arco-íris glorioso? E quem gostaria de ser surdo? Quem no mundo desejaria o silêncio em vez da beleza de uma valsa, ou a voz suave de um ente querido? 
No entanto, há pessoas que optam por ser deficientes. Se você fosse desafiá-las elas não seriam de outra maneira. Elas deliberadamente determinam a ser desativadas. Elas são incapacitadas muito graves, não físicas, mas são deficientes na alma ou no espírito.
É tolo pensar que alguém escolheria uma desvantagem física. Eu certamente não. É preciso ajuda para abrir os olhos e ouvidos. Olhar para Deus e ouvi-Lo. Eu escolho não ser paralisada pela indiferença ou dúvida. 
Humanamente não escolheríamos uma deficiência ou qualquer problema, é importante sabermos que nossos problemas e provações não são aleatórios, mas têm significado porque os propósitos de Deus são para o nosso bem e para a salvação dos outros.
A história de José na Bíblia tem atraído conforto, especialmente quando você passou por acidentes ou percalços. Depois de todos os terríveis problemas em sua vida, muitos dos quais foram causados por seus irmãos, Joseph diz à sua família no verso 20:

"Vocês pretendiam me prejudicar, mas Deus planejou para o bem realizar o que está sendo feito agora, a salvação de muitas vidas." (Gênesis 50: 20)

O Deus da Bíblia é um Deus de intenção; mesmo quando envolve acidentes e percalços. Porque mesmo com reviravoltas inesperadas, loucas calamidades imprevistas que são perpetradas sobre nós por pessoas más, Deus ainda tem um propósito, Ele tem um alvo, um objetivo e um plano. 
Os irmãos de José agiam de maneira muito má; suas intenções eram ruins, mas Deus estava um gigantesco passo à frente dos irmãos de José, abortando suas más motivações para satisfazer Seus próprios propósitos. 
Deus permite todos os tipos de coisas que Ele não aprova, e a vida de José é um grande exemplo. Porque, mesmo que Deus tenha franzido a testa aos maus atos daqueles irmãos, os problemas de José não apanharam Deus desprevenido, apresentando-Lhe uma situação que Ele desejou nunca teria acontecido. Não, desde o princípio, Deus calculou para José experimentar todas estas coisas. Por quê? O versículo 20 explica: Para a salvação dos outros.
Eu posso ver agora como Deus tem usado meu acidente para a salvação dos outros. Quando eu estava numa UTI anos atrás, com uma lesão que resultou em tetraplegia, a intenção de Deus era que através da minha cadeira de rodas, de alguma forma, muitas pessoas com deficiência ouvissem sobre Jesus. E o mesmo é verdade para você, não importa qual tenha sido a sua lesão, doença ou acidente terrível em sua vida, porque Deus não é um rapaz que o segue com uma pá e uma escova, adivinhando como tudo vai se encaixar em um padrão divino para o bem.
Pense em coisas decepcionantes ou ruins que lhe aconteceram. As mãos de Deus permanecem na roda de sua vida do começo ao fim para que tudo siga Sua intenção para você. Isso significa que seus problemas têm significado - muito mais - do que você imagina. 
Seus problemas têm mais propósito do que você pode imaginar. Não porque Deus simplesmente usou coisas ruins, mas porque Deus as destinou para a salvação dos outros, Ele propôs seus problemas para que outros pudessem ser trazidos a Jesus através do seu exemplo. Então, hoje, procure maneiras que você possa introduzir outras pessoas a Jesus através de sua história. Como José desde a antiguidade, deixe que suas provações sejam uma plataforma para que você possa mostrar a realidade do Evangelho.
Agora se tudo o que fiz foi guardar todas essas bênçãos para mim, eu deveria me sentir culpada. Eu seria culpada de não passar as bênçãos para outros.
Se somos abençoados financeiramente, se Deus nos abençoou com boa saúde ou tempo extra; se Deus nos abençoou com uma casa grande, ou certos dons, devemos usar essas coisas para encorajar os outros. 
Em Gênesis 12, Deus disse a Abraão: 

"Eu te farei uma grande nação e te abençoarei, e todos os povos da terra serão abençoados por meio de ti". 

Deus não queria que Abraão guardasse as bênçãos para si mesmo. Deus pretendia que Abraão fosse apenas um elo de uma longa corrente de encorajamento para ser transmitido aos outros. E o mesmo é verdade para você! 
Deus te abençoa para que você possa enriquecer a vida dos outros. Ele o conforta para que você possa transmitir esse conforto aos outros. Ele te dá riquezas, para que você possa dar aos outros. Nós ainda sofremos, não só para o nosso benefício, mas para que outros possam aprender a suportar pacientemente, observando nosso exemplo. Portanto, se Deus o abençoou de alguma maneira, não acumule; não guarde para si mesmo; não seja mesquinho sobre suas bênçãos. 
Não tenha medo de se entregar. Não tenha medo de que se você deixar ir o seu tempo, tesouro ou o seu talento você terá menos. Lembre-se, Deus diz que é mais abençoado dar do que receber Então por que não multiplicar os incentivos que Deus misericordiosamente cumulou sobre você, compartilhando-os com os outros, porque como um filho de Deus, você está destinado a transmiti-los.
Quando eu estava em meus 18 anos de idade, enfrentando uma vida sem uso de meus braços e pernas, eu não tinha ideia de como o plano de Deus era bom para mim. Mas quando considero tudo o que Ele fez - inclusive encorajando pessoas através de meu testemunho vejo que Seu plano era bom. Então, o que você está enfrentando hoje, tem propósito: Deus tem um plano bom e esperançoso para você. 
Você pode não ser um deficiente físico, mas espiritual ao não atender ou não procurar entender e viver a palavra Deus.

Espero que minhas mensagens de esperança cheguem a todas as pessoas, especialmente a pessoas feridas física e emocionalmente!


http://www.joniandfriends.org/daily-devotional/

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Levando o Pecado a Sério



Levando o Pecado a Sério
 “Tenha piedade de mim, ó Deus, segundo o teu amor infalível; apaga as minhas transgressões segundo a tua grande compaixão. " (Salmo 51: 1)

Em tempo passado eu era uma religiosa dedicada que procurava obedecer aos ensinos e rituais de minha fé, e até me achava em melhor condição do que muitas pessoas por só ter o que eu considerava ‘pecados pequenos’, mas no fundo eu sabia que mesmo com meus pecados 'pequenos' eu não era boa, nem melhor que ninguém. Mais tarde quando eu conheci a palavra de Deus ao ler que todos pecaram entendi que pecado não tem tamanho, eu era uma pecadora e precisava do perdão de Deus além de converter-me ao Seu senhorio.

"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;" (Romanos 3.23)

A conversão não é o fim da caminhada, mesmo conhecendo a palavra de Deus e seguindo-a, há momentos que eu perco o foco e cometo alguns deslizes. O pecado acontece. Por exemplo quando eu fico impaciente com quem está próximo ou tenho pequenas irritações. E depois que acontece acabo ficando brava comigo mesma por não conseguir segurar a língua. Logo o momento é esquecido, e Deus, dificilmente estava nele.
Procuramos uma maneira de varrer pequenos pecados sob o tapete de nossa consciência sem jamais considerar como eles afetam Deus. Uma irritação com um amigo. Um deslize da língua na fofoca. Uma mentira branca. Uma resposta impaciente. Uma palavra insincera. Um comentário sarcástico.
Nós quase os ignoramos, achando que precisamos de Deus apenas para lidar com as grandes ofensas. Pensamos que cabe a nós e ao nosso autocontrole lidar com os pequenos pecados. É um engano.
Você pode dizer que pequenas ofensas como mentiras brancas ou idiotas não ofendem realmente a Deus, que Ele está bastante contente em ter você varrendo pequenas coisas debaixo do tapete. Mas não é assim. Talvez metade do nosso problema seja que não levamos o pecado a sério. Quando alinhamos todas as nossas ofensas, maior e menor, contra um Deus santo, podemos então dizer com o salmista: "Contra ti, somente contra ti, pequei."
Deus é santo e o pecado é uma grande ofensa para Ele. Ele odeia o pecado porque custou a vida de Seu precioso Filho. O pecado manchou Sua bela criação, incluindo toda a raça humana.

Pai, hoje eu me recuso a varrer pequenos pecados da minha consciência sem trazê-los diante de Ti em sincera confissão. Ajude-me a levar o pecado a sério.


LEIA A BÍBLIA

Inspirado http://www.joniandfriends.org/daily-devotional/